“A aventura do herói o coloca de cara com sua essência, mas não adianta apenas ver, a intenção é alcançar a liberdade de viver a sua individualidade.

Talvez essa ainda seja uma frase enigmática para você. Talvez você precise viver várias pequenas aventuras para entendê-la. Assim como uma cebola sendo desfolhada, cada vez que a gente ousa alargar o nosso limite, mais ao centro caminhamos.

Resumindo a estrutura do mito do herói:

CHAMADO: se o herói atender ao chamado ele pode iniciar a aventura.
INICIAÇÃO: travessia do primeiro limiar
provas
apoteose
RETORNO: retorno com bênção ou fuga com resgate
reintegração à realidade
ensinar a boa nova”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *